quarta-feira, 20 de abril de 2016

Guarda do Embaú.

Ta aí: um incrível lugar para vocês conhecerem. Eu como uma pessoa um tanto quanto "viajada pela minha região", posso com toda a certeza afirmar para vocês que é um dos lugares mais lindos que eu já fui e um dos meus preferidos. Não só pela sua beleza entendem? Mas sim pela paz que trás, pela tranquilidade e simplicidade que o povo de lá trás. Eu escreveria um livro para vocês sobre a Guarda, mas hoje vou apenas deixar uma informações para vocês e a minha sincera recomendação de conhecerem esse lugar.
Aliás, preciso deixar uma observação: eu não gosto muito de praia. Sim, pasmem. Prefiro mil vezes um rio ou uma cachoeira. Não nasci para a areia da praia ou o sal do mar rsrsrs... Sou um peixinho de água doce e apaixonada por natação, um esporte que não dá para praticar muito na praia né? Pois é rsrsrs. Maaas, a Guarda do Embaú é diferente de tudo e de todas as praias e eu não sei explicar o por que!



Como é a Guarda do Embaú?



A Guarda do Embaú é considerada uma das 10 mais belas praias do Brasil e você pode ter certeza que é. 



A praia é longa de areias claras e finas, as ondas quebram na boca do Rio da Madre, o acesso à praia é pelo rio, nadando ou de canoa. Existe uma pequena praia no canto Norte que pode ser alcançada por uma trilha , sem a necessidade de atravessar o rio.


(Prainha)

O lugar, muito tranquilo e simples, é um pequeno vilarejo que conta com algumas pousadas, casas de aluguel, restaurantes, padaria e uma pizzaria onde pode-se comer bem e tomar uma cerveja à noite. 

Considerado um dos melhores points para prática do surf, Guarda não é reduto apenas dos adeptos do esporte. Turistas de diversos cantos lotam a praia no verão em busca dos cenários paradisíacos como os descortinados na Prainha e na pedra do Urubu, ambos.

Minhas considerações:



Realmente não aguento rsrsrs... Eu queria deixar aqui só algumas informações, mas quero realmente convencer vocês de conhecerem este lugar. Vou explicar melhor como é a Guarda do Embaú para vocês:
A praia principal da Guarda só é possível chegar atravessando um rio à nado ou a barco. A praia é linda e a areia é tão fininha que chega a fazer barulho quando pisamos nela (tô falando sério rsrsrs).
Mas, o meu lugar preferido na Guarda é realmente a prainha. "Mas o que é a prainha?". Bom, a prainha é uma ilha que só tem como chegar atravessando uma trilha pelo meio do mato de mais ou menos meia hora apé (não tem como chegar de outra forma). As duas praias lá tem difícil acesso sim, eu entendo, mas podem ter certeza que vale muito o esforço. 
Gosto muito da Guarda principalmente pelo simples fato de misturar "2 tipos de natureza em um só" (praia e floresta). Mas eu também sou apaixonada pela tranquilidade e paz que essa praia trás, acreditem. Aliás, o pessoal de lá é incrível também e tem uma simplicidade que contagia. Você pode andar como bem entender lá, porque ninguém se importa se você está apresentável ou não.

Localização:


Guarda do Embaú é uma praia localizada no município de Palhoça, no estado de Santa Catarina, Brasil, 46 km ao sul de Florianópolis

Como chegar?

De carro: O acesso é feito pela rodovia BR-101. Para quem vem do Norte a Guarda fica 50 km após Florianópolis, entrar em direção à Pinheira. Para quem vem do Sul a Guarda fica 50 km antes de Florianópolis, entrar em direção à Pinheira.

De avião: A melhor opção é pegar um avião até Florianópolis e continuar a viagem de táxi ou ônibus. O aeroporto de Florianópolis possui opções de vôos para diversas cidades Brasileiras.

Distâncias: Curitiba 350 Km, Florianópolis 50 Km, São Paulo 780 Km, Rio de Janeiro 1114 Km

História:


Relataram-nos os pescadores mais antigos, que lá pelos meados do século XVII, Havia piratas nessa região marítima, devido à quantidade de embarcações oriundas de Portugal e Espanha, que vinham trazer colonizadores, especiarias e principalmente em seu regresso conduziam grandes quantidades em ouro para Europa.
Isso fez crescer a quantidade de embarcações piratas, que passaram a saquear os navios.

E no século XVIII, ouve necessidade de construir vários fortes, dentre esses o mais próximo na ilhota de Araçatuba, com o nome de nossa senhora da conceição, situado entre a ponta Sul da Ilha de Desterro (hoje Florianópolis) e a Ilha dos Papagaios, no lugar geograficamente mais estreito para quem queria navegar em águas calmas até o centro do comercio, se tornando um importante ponto de segurança no mar, dificultando a ação dos bandidos.

Foi justamente nessa época, que os piratas começaram a usar a mansidão da bahia da Pinheira para ancorarem suas embarcações, para que em terra firme descarregassem seus baús de ouro, enterrarem em lugares estratégicos, mapeados e manuscritos em pergaminhos, para então seguirem suas rotas marítimas, mas com o intuito de quando retornarem de suas missões, resgata-los todos.

Mas, como a viagem de volta nem sempre é uma certeza, alguns naufragavam a mercê de recifes desconhecidos, outros por tempestades fortes, alguns abatidos e fundiados pelos canhões dos forte já em vigor e outros saqueados por outros piratas, os quais passavam a ser posseiros dos mapas manuscritos em pergaminhos, e vinham até nossa região á procura da Guarda dos Baús de ouro.

Posteriormente, com o progresso e o crescimento do povoado, começou a acontecer o descobrimento de alguns desses baús por acaso, como foi o caso do Sr. Joaquim, que com sua descoberta, passou a ser proprietário do Hotel e Restaurante na Praça da Pinheira (onde hoje é o restaurante da Rica) dando inicio a uma corrida pelos velhos mapas manuscritos, até então sem importância, estando uma pagina aqui, outra lá, mas que passou a fazer peça de um quebra cabeças por aqueles que eram obcecados por desenterrarem tesouros.

Essas descobertas trouxeram para nossa região Historiadores, que acreditavam poder desenterrar os tesouros, desde que decifrassem os enigmas descritos nos pergaminhos, e essa situação levou muitos a loucura e outros para casa de tratamento psiquiátrico.

Isso, porque outra parte da lenda nos relata que espíritos dos piratas se transformaram em grandes guardiãs desses tesouros, fazendo sentinelas nas entradas de grutas e em cada marco mencionado nos manuscritos, obssediando os caçadores de tesouro e fazendo com que desistam do entento, outros os levando aos extremos da loucura aqueles que persistirem com a idéia.

O manuscrito que menciona os pontos chaves, é muito antigo, onde usaram palavras escritas em um linguajar diferente do usado pela língua portuguesa atualmente, mas de fácil interpretação, por serem palavras conclusivas. Há muitos enigmas, como marcas rupestres, furos em pedras, cacimbas, córregos e a marca do sol de determinada hora do dia referente ao mês do ano no buraco das cavernas e grutas, outras marcas são pela altura da maré, todas dando ideia da localização exata dos Baús de Ouro da Guarda, ou seja, Guarda do Embaú.

Nenhum comentário:

Postar um comentário